23 de Abril de 2009

 

Na reprodução destacam-se dois tipos: reprodução sexuada e reprodução assexuada.
Na reprodução sexuada é necessária a intervenção de dois indivíduos (ou apenas dois organismos) de sexos diferentes onde ocorra a união dos seus gâmetas. Neste processo origina-se um ser com variabilidade genética.
Na reprodução assexuada é necessária a intervenção de um só indivíduo, sem ocorrer fecundação de gâmetas. Os seres são geneticamente idênticos ao progenitor e denominam-se clones. Por este motivo, este tipo de reprodução não contribui para a variabilidade genética dos seres, porém assegura o seu rápido crescimento e colonização de ambientes favoráveis.
No caso das planárias, na reprodução sexuada, como são hermafroditas insuficientes, um único indivíduo produz os dois tipos de gâmetas, os dois animais produzem óvulos, que são fecundados pelos espermatozóides recebidos do parceiro.
 
 
 
Nas planárias a reprodução assexuada pode ocorrer por bipartição – um indivíduo divide-se em dois semelhantes, que vão crescendo até atingirem o tamanho do progenitor – ou por fragmentação - o organismo fragmenta-se espontaneamente ou por acidente e cada fragmento desenvolve-se originando novos seres vivos.
A planária é um ser com elevada capacidade de regeneração. Se partirmos/fragmentarmos uma planária em vários bocados, cada um desses bocados é capaz de regenerar o animal inteiro, independentemente do tamanho ou forma desse mesmo fragmento. Isto é, se cortarmos uma planária ao meio, obtêm-se duas, caso seja dividido em três, resultam três planárias e assim sucessivamente. Este tipo de divisão ocorre devido á reprodução assexuada que se traduz numa regeneração de pequenos fragmentos do animal, que é designada por fragmentação.
Foi Thomas Hunt Morgan (1866/1945 -EUA) que fez as primeiras experiências com estes seres. Morgan, mostrou que um fragmento equivalente a 1/297276 do corpo das planárias (com cerca de 10 mil células) pode regenerar o animal integralmente.
A capacidade de regeneração deve-se á capacidade de células estaminais que possuem. Estas células apresentam algumas características fundamentais, são células indiferenciadas, não especializadas. Têm capacidade de extensão, isto é, são capazes de se dividirem e de se diferenciarem em diferentes tipos de células. Apresenta também uma capacidade de auto-renovação, sendo a sua divisão assimétrica, isto é, originando duas células-filhas que tem destinos diferentes, uma das células permanece estaminal, enquanto a outra pode diferenciar-se numa célula especializada.
publicado por planarias às 13:09

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
24
25

26
27
28
29
30


arquivos
2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


blogs SAPO