23 de Abril de 2009

 

Na reprodução destacam-se dois tipos: reprodução sexuada e reprodução assexuada.
Na reprodução sexuada é necessária a intervenção de dois indivíduos (ou apenas dois organismos) de sexos diferentes onde ocorra a união dos seus gâmetas. Neste processo origina-se um ser com variabilidade genética.
Na reprodução assexuada é necessária a intervenção de um só indivíduo, sem ocorrer fecundação de gâmetas. Os seres são geneticamente idênticos ao progenitor e denominam-se clones. Por este motivo, este tipo de reprodução não contribui para a variabilidade genética dos seres, porém assegura o seu rápido crescimento e colonização de ambientes favoráveis.
No caso das planárias, na reprodução sexuada, como são hermafroditas insuficientes, um único indivíduo produz os dois tipos de gâmetas, os dois animais produzem óvulos, que são fecundados pelos espermatozóides recebidos do parceiro.
 
 
 
Nas planárias a reprodução assexuada pode ocorrer por bipartição – um indivíduo divide-se em dois semelhantes, que vão crescendo até atingirem o tamanho do progenitor – ou por fragmentação - o organismo fragmenta-se espontaneamente ou por acidente e cada fragmento desenvolve-se originando novos seres vivos.
A planária é um ser com elevada capacidade de regeneração. Se partirmos/fragmentarmos uma planária em vários bocados, cada um desses bocados é capaz de regenerar o animal inteiro, independentemente do tamanho ou forma desse mesmo fragmento. Isto é, se cortarmos uma planária ao meio, obtêm-se duas, caso seja dividido em três, resultam três planárias e assim sucessivamente. Este tipo de divisão ocorre devido á reprodução assexuada que se traduz numa regeneração de pequenos fragmentos do animal, que é designada por fragmentação.
Foi Thomas Hunt Morgan (1866/1945 -EUA) que fez as primeiras experiências com estes seres. Morgan, mostrou que um fragmento equivalente a 1/297276 do corpo das planárias (com cerca de 10 mil células) pode regenerar o animal integralmente.
A capacidade de regeneração deve-se á capacidade de células estaminais que possuem. Estas células apresentam algumas características fundamentais, são células indiferenciadas, não especializadas. Têm capacidade de extensão, isto é, são capazes de se dividirem e de se diferenciarem em diferentes tipos de células. Apresenta também uma capacidade de auto-renovação, sendo a sua divisão assimétrica, isto é, originando duas células-filhas que tem destinos diferentes, uma das células permanece estaminal, enquanto a outra pode diferenciar-se numa célula especializada.
publicado por planarias às 13:09

 

Neste nosso mais recente post iremos falar das características mais científicas destes espantosos animais que são as planárias.
O seu corpo é coberto por uma epiderme com células capazes de segregar um muco para a função de locomoção e também para manter o corpo húmido. Subjacente a esta epiderme, está também uma camada muscular, mas ao contrário do que se possa pensar, estes músculos servem apenas para a função de torcer e virar o corpo, resistindo assim às perturbações do meio.
São carnívoras e alimentam-se de pequenos invertebrados. Capturam o alimento por sucção, enrolam-se na presa envolvendo-a com uma substância viscosa prendendo-a ao substrato. Possuem um sistema digestivo incompleto constituído por: boca, faringe e intestino (cavidade gastrovascular). Não possui ânus, os alimentos não digeridos são excretados pela boca.
 
As planárias de água doce suportam abstinência prolongada porque são capazes de utilizar os próprios órgãos ou tecidos como alimento. Como consequência, diminuem significativamente o seu tamanho.
Em relação ao seu sistema sensorial têm um par de ocelos (regiões sensíveis á luz) na região dorsal da cabeça, estes informam à planária se ela está num local com muita ou pouca luminosidade. Um par de receptores, sensores para a corrente de água. Uns mecanoceptores em toda a superfície do corpo, para estímulos mecânicos, como tacto, pressão e vibração. Por fim uns quimioceptores em toda a superfície do corpo para estímulos químicos como olfacto.
publicado por planarias às 12:56

19 de Fevereiro de 2009

 

                Em primeiro lugar, este é um dos métodos possíveis, isto é, não é único mas foi o que utilizamos e o mais simples.
 
Material:
·         Fígado de bovino (fresco, de preferência);
·         Fio de nylon;
·         Rede de limpeza de aquários.
 
Procedimento:
A primeira etapa é, sem dúvida, a escolha de um local adequado. O rio ou qualquer curso de água não poderá ter muita corrente, pois, neste caso, as planárias são arrastadas. Outro aspecto a ter em conta será os níveis de poluição do mesmo. Apesar de estes vermes viverem em ambientes um pouco “sujos”, estes não serão encontrados em locais muito poluídos.
Quanto ao procedimento propriamente dito, começa-se por cortar o fígado em pequenos pedaços. De seguida, enrola-se um pedaço no fio, certificando-se que este fica bem preso. Depois de encontrado um local que contenha alguns ramos, folhas e fragmentos de rochas sendo este o escolhido para o seu habitat. É necessário esperar algum tempo para que estas sintam o “odor” da carne e para que este se espalhe pela zona. Como o odor se espalha naturalmente, é normal que surjam outros predadores que não os pretendidos.
Depois de alguma espera passa-se a rede nas imediações da carne para verificar se os resultados pretendidos foram obtidos.
 
Na nossa primeira tentativa não obtivemos os resultados que pretendíamos obter, mas suspeitamos que a causa deste “falhanço” tenha sido a escolha do local, devido a ser um curso de água com alguma corrente.  
publicado por planarias às 12:43

15 de Janeiro de 2009

Reino: Animalia

Filo: Platyhelminthes

Classe: Tubellaria

Ordem: Seriata

Subordem:Tricladida

Família: Bipaliidae

Géneros mais comuns: Dugesia, Bipalium, Orthodemus e Geoplana.

 

São vermes planos de vida livre, ou seja, há espécies que habitam tanto no mar como na água doce, existindo mesmo algumas que são terrestres, vivendo em florestas húmidas.

Como o nosso Blog pretende focar apenas planarias de água doce, vamos, neste post, avançar alguma informação sobre estas.

Um dos representantes do filo, de vida livre, é a planaria, que pode apresentar uma variação de tamanho que vai das espécies microscópicas até as de 60cm de comprimento, medindo a maioria 10mm, têm o corpo achatado no sentido dorso – ventral e apresentam simetria bilateral (plano imaginário que divide o corpo em duas metades iguais). 

 

 

 

 

 

Fontes:

  • Ville, Claude A.; Jr.,Warren F. Walter & Barns, Robert D. (1985). Zoologia Geral, 6ª Edição. Edições Interamericana
  • Escada, Júlia. O Essencial do 12º Ano - Biologia, 1ª Edição. Edições ASA
publicado por planarias às 12:07

06 de Janeiro de 2009

Com o objectivo de melhorar a nossa interacção com os visitantes, estará à vossa disposição um centro de dúvidas.

Com esta ferramenta, todos os visitantes poderão expor todas as suas dúvidas sobre o tema, ao qual lhes será fornecida uma resposta logo que possivel.

Pediamos, assim, que colocassem as vossas dúvidas num comentário em qualquer dos nossos posts. Responderemos no nosso próximo post da forma mais completa e correcta possivel.

Contamos com a vossa colaboração

Obrigado

 

 

publicado por planarias às 11:40

16 de Dezembro de 2008

Bem-vindos ao "desconhecido" mundo dos Platyhelminthes!

Somos um grupo de Área de Projecto do 12º ano da Escola Secundária Ferreira de Castro de Oliveira de Azeméis.

Para este ano lectivo, proposemo-nos a estudar o comportamento e regeneração das planarias e este blog é precisamente a primeira fase do nosso projecto.

Este blog irá conter alguns artigos com informações viáveis que nos irão ajudar a realizar as actividades posteriores.

Ao longo do ano iremos actualizar este mesmo blog com informações pertinentes, bem como os resultados obtidos e os vídeos de cada uma das actividades laboratoriais que vamos realizar.

Futuramente este blog irá conter um Centro de Dúvidas onde poderão colocar as vossas questões.
Esperemos que tirem proveito e que nos ajudem com a vossa colaboração.

Até à próxima. Boas festas

publicado por planarias às 11:02

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
24
25

26
27
28
29
30


arquivos
2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


subscrever feeds
blogs SAPO